Total de visualizações de página

quarta-feira, 30 de julho de 2014

PSC de Coelho Neto mostra independência e lança Patrícia Barros candidata a deputada estadual!

O PSC de Coelho Neto, presidido pelo o empresário Jeziel Marques, da ótica Coelho Neto, lançou a também empresaria Patrícia, Barros, com o número 20100, esposa do ex-vereador Milton César, candidata a deputada estadual.


O PSC regional tinha dado a vaga ao ex-vereador, Milton César, mas alguns problemas burocráticos dificultou o seu projeto político. Como válvula de escape, Milton César, registou a candidatura de sua esposa, e garantiu ao Portal Leste Maranhense, que o projeto é verdadeiro, embora tenha que diga que aposta com qualquer um como Milton César, não segurará a conversa.

A empresária Patrícia Barros, do ramo de lojas de confecções é filiada ao PSC, desde os tempos em que o Blogueiro Ezequias Martins, presidia o Partido. Nesta época o Partido Social Cristão, fazia parte da base aliada do então prefeito Magno Bacelar. Já o ex-vereador Milton César, veio pra legenda quando a mesma já estava com Jeziel Marques, na base do prefeito Soliney Silva.
Enquanto a sociedade coelhonetense se divide em dois grupos; um que acredita que Milton César, levará a campanha de sua esposa Patrícia Barros, 20100, até o fim, e outro que nem de longe ver esta possibilidade, os questionamentos em relação a base estagnada do Governo Soliney ganha as mais diversas especulações e sinal de fracasso eminente.

Com a desistência do Filho do prefeito Soliney Silva, que iria disputar uma vaga na Assembleia Legislativa e com a saída de Américo de Sousa, do grupo Sarney pra Flávio Dino, no palanque de Lobão Filho, candidato do Palácio dos Leões, em Coelho Neto, Patrícia Barros ganha força e bem mais visibilidade.
Nas próximas horas a campanha de Patrícia Barros, estará nas ruas de Coelho Neto, através de jingles ou música de candidato como queiram chamar.

Na avaliação de muitos o momento é propício e decisivos para a carreira política da jovem senhora, Patrícia Barros, que sai da base aliada do prefeito Soliney Silva, com muita disposição de marcar território político em Coelho Neto, com uma carreira solo. Com esta postura política de Soliney que a cada dia que passa, vem mostrando sinal de fraqueza, na disputa eleitoral, só dá combustível aos seus adversários principalmente aos ex-aliados como Patrícia Barros, uma líder evangélica que cresce a cada dia que passa dentro do segmento.  
     
  


20 anos sem Mussum

Em 29 de julho de 1994, a TV brasileira perdia um pouco da graça. Há 20 anos, Antônio Carlos Bernardes Gomes, o Mussum, morreu deixando eterna saudade. Durante toda essa semana, oVídeo Show vai lembrar boas doses de risadas que o trapalhão deixou na memória. Confira nos vídeos as atuações de Mussum em Os Trapalhões de 1983 e 1993!


Mussum teve origem humilde, nasceu no Morro da Cachoeirinha, no Lins de Vasconcelos, zona norte do Rio de Janeiro. Estudou durante nove anos num colégio interno, onde obteve o diploma de ajustador mecânico.
Serviu na Força Aérea Brasileira durante oito anos, ao mesmo tempo em que aproveitava para participar na Caravana Cultural de Música Brasileira de Carlos Machado. Mussum iniciou sua carreira artística tocando reco-reco no grupo Os Modernos do Samba.3
Fundou o grupo Os Sete Modernos, posteriormente chamado Os Originais do Samba. O grupo teve vários sucessos, as coreografias e roupas coloridas os fizeram muito populares na TV, nos anos 1970, e se apresentaram em diversos países.
Antes, nos anos 1960, é convidado a participar de um show de televisão, como humorista. De início recusa o convite, justificando-se com a afirmação de que pintar a cara, como é costume dos atores, não era coisa de homem. Finalmente estreia no programa humorístico Bairro Feliz (TV Globo1965). Consta que foi nos bastidores deste show queGrande Otelo lhe deu o apelido de Mussum, que origina-se de um peixe teleósteo sul-americano (escorregadio e liso, já que conseguia facilmente sair de situações estranhas).

Em 1969 , o diretor de Os TrapalhõesWilton Franco, o vê numa apresentação de boate com seu conjunto musical e o convida para integrar o grupo humorístico, na época naTV Excelsior. Mais uma vez, recusa; entretanto, o amigo Manfried Santanna (Dedé Santana) consegue convencê-lo, e Mussum passa a integrar a trupe em 1973 (que na época ainda era um trio, pois Zacarias entrou no grupo depois, em 1974) que terminaria tornando-o muito famoso em todo o país. Mussum era o único dos quatro Trapalhões oficiais que era afro-brasileiro (Jorge Lafond e Tião Macalé, apesar de também afro-descendentes e atuarem em vários quadros com o grupo, durante vários anos, eram coadjuvantes).

Apenas quando Os Trapalhões já estavam na TV Globo, e o sucesso o impedia de cumprir seus compromissos, é que Mussum deixou os Originais do Samba. Mas não se afastou da indústria musical, tendo gravado discos com Os Trapalhões e até três álbuns solo dedicados ao samba.

Uma de suas paixões era a escola de samba Estação Primeira de Mangueira, todos os anos sua figura pontificava durante os desfiles da escola, no meio da Ala de baianas, da qual era diretor de harmonia. Dessa paixão veio o apelido "Mumu da Mangueira". Também era rubro-negro fanático.
Mussum foi considerado por muitos o mais engraçado dos Trapalhões. No programa, popularizou o seu modo particular de falar, acrescentando as terminações "is" ou "évis" a palavras arbitrárias (como foréviscacíldiscoraçãozis) e pelo seu inseparável "mé" (que era sua gíria para cachaça).

O personagem que vivia no programa Os Trapalhões tinha como característica principal o consumo constante de bebidas alcoólicas, em especial a cachaça.
Mussum se celebrizou por expressões onde satirizava sua condição de negro, tais como "negão é o teu passádis" e "quero morrer prêtis se eu estiver mentindo", além de recorrentes piadas sobre bebidas alcoólicas.

Também criou outras frases hilariantes, que se popularizaram rapidamente, como "eu vou me pirulitazis (pirulitar)", quando fugia de uma situação perigosa, ou "traz mais uma ampola", pedindo cerveja, ou "casa, comida, três milhão por mês, fora o bafo!", passando uma cantada em uma mulher bonita, ou ainda "faz uma pindureta", pedindo fiado.

Seu personagem constantemente brincava com os outros membros do grupo, inclusive inventando apelidos divertidos ( Didi Mocó era chamado de "cardeal" ou "jabá" ouZacarias era chamado de "mineirinho de Sete Lagoas"). Também era alvo de gozações por parte dos demais membros do grupo, recebendo apelidos como "cromado", "azulão", "grande pássaro" entre outros, sempre ficando evidente, entretanto, que as brincadeiras e gozações eram feitas num ambiente de amizade entre os quatro, uma vez que, na maioria dos quadros do programa de TV, os Trapalhões eram sempre quatro amigos que dividiam uma casa ou apartamento, sendo normal, portanto, que eles constantemente dirigissem gozações e criassem apelidos entre si.  

Mussum morreu em 29 de julho de 1994, aos 53 anos, não resistindo a um transplante de coração, e foi sepultado no Cemitério Congonhas em São Paulo.5 Deixou um legado de 27 filmes com Os Trapalhões, além de mais de vinte anos de participações televisivas.



Em ato por IDH melhor, oposição lança a campanha “Ajude o Maranhão a derrotar o Sarney”

A Coligação Todos Pelo Maranhão vai lançar nesta quarta-feira (30) a campanha nacional “Ajude o Maranhão a derrotar o Sarney”. O lançamento será durante o firmamento do “Pacto por um IDH Justo”, em São Luís, às 18h.

O objetivo da campanha é mobilizar o Brasil inteiro para ajudar a mudar a política do Maranhão. Um site será colocado no ar para recolher doações de moradores de todos os  Estados para a campanha do candidato da Coligação Todos Pelo Maranhão, Flávio Dino. A página eletrônica também vai recrutar voluntários interessados em fiscalizar as eleições maranhenses.

A Campanha tem caráter nacional porque as eleições deste ano no Maranhão terão impacto em todo o país. A renovação da política maranhense representa também uma nova página na política brasileira, com a superação de um arcaico e ultrapassado ciclo.

Doações e observadores

A presença de observadores internacionais é comum nas eleições no mundo todo. Em 2010, por exemplo, 45 países enviaram observadores estrangeiros para acompanhar o segundo turno nas eleições brasileiras. A ideia da oposição no Maranhão é replicar essa prática no Estado, ajudando a inibir eventuais fraudes.

As doações serão recolhidas por meio do site, que mostrará todo passo a passo, em conformidade com o que determina a legislação eleitoral e fiscal no Brasil.

Objetivo único

A campanha será lançada durante o firmamento do “Pacto por um IDH Justo”, no Hotel Rio Poty, porque ambas as iniciativas têm o mesmo objetivo: mudar a política para mudar a qualidade de vida do povo maranhense.

Dezenas de movimento sociais vão se reunir com Flávio Dino para firmar o pacto. É uma união para reverter os baixos índices sociais do Maranhão, que tem o segundo pior IDH do Brasil. Essa nota mede a qualidade de vida da população.

Esses movimentos são compostos por educadores, trabalhadores rurais, religiosos, funcionários da Saúde e da Cultura, representantes da moradia popular, dos direitos humanos e das pastorais, do movimento negro, militantes e muitos outros.

Serviço

Lançamento da campanha “Ajude o Maranhão a derrotar o Sarney”
Quando: nesta quarta-feira (30), às 18h, durante o “Pacto por um IDH Justo”
Onde: Hotel Rio Poty, na Ponta D’Areia, em São Luís


terça-feira, 29 de julho de 2014

CGU emite certidão comprovando que Flávio Dino é ficha limpa

A Controladoria-Geral da União (CGU) emitiu, na tarde de ontem (28/jul), uma certidão comprovando que o candidato a governador Flávio Dino é ficha limpa. Segundo o órgão de fiscalização do governo federal, não há qualquer investigação ou parecer contrário à gestão de Flávio quando presidente da Embratur.




A CGU destacou, em sua certidão, que “NÃO CONSTA processo aberto no âmbito da CGU ou da existência de parecer técnico pela irregularidade das contas do senhor Flávio Dino”.

O documento do governo federal vem desmentir rumores espalhados por adversários de Flávio na corrida estadual de que sua gestão à frente da Embratur teria sido repreendida pela CGU. O candidato a governador comandou a Embratur entre junho de 2011 e março de 2014.

Destaque na gestão

No período em que chefiou o órgão do governo federal responsável pela promoção turística do Brasil no exterior, Flávio Dino recebeu vários prêmios por sua gestão. No ano passado, ele recebeu o Stevie Awards, um dos mais cobiçados prêmios do mundo na área de comunicação, em reconhecimento à promoção do Brasil na Copa, com a série de eventos Goal to Brasil, premiada em três categorias.

Durante a gestão de Flávio, o número de turistas estrangeiros no Brasil aumentou cerca de 20%, ultrapassando a marca dos 6 milhões, um recorde na história brasileira. A entrada de recursos por meio do turismo também aumentou, chegando a US$ 6,7 bilhões no fim do ano passado. Eram US$ 5,7 bilhões em 2010. Em 2013, o Brasil foi o quinto maior gerador de empregos no turismo em todo o mundo.


IMAGENS DA PROCISSÃO DO FESTEJO DE SANTANA DIA 26






A caminho do corredor da alegria próximo da entrada  

Esta foto não foi na procissão e sim no corredor da alegria depois do cortejo religioso. 


Edinho Lobão, não participou da procissão. Esta foto, é já na Praça Duque Bacelar, depois que o cortejo religioso chegou  

Fernanda Morais participa da caminhada de Flávio Dino em Chapadinha e mostra força politica

Fernanda Morais, candidata a deputada estadual pelo PC do B, e liderança em Afonso Cunha, participou efetivamente da caminhada da caravana 65, sábado em Chapadinha ao lado de Flávio Dino, junto com correligionários que dão sustentação a sua candidatura naquele município.







A Loura do PC do B, durante todo o trajeto da caminhada era só alegria. Por aonde ia passando Fernanda Morais, distribuía o santinho 65999, e esbanjava muita simpatia ao pedir o voto ao eleitor chapadinhense.

No discurso de Flávio Dino, na inauguração do comitê da dobradinha Simplício Araújo, 7777, e Dr. Levi Pontes, 77123, Flávio Dino, enalteceu a coragem e determinação de Fernanda Morais, que em seu palanque representa o segmento feminino. Enquanto falava da candidata Fernanda que é de seu partido Flávio Dino, reconheceu a importância e sobretudo o apoio que ela está dando a candidatura majoritária.


Com esta candidatura de deputado estadual que ganha simpatizantes e eleitores por todas as partes do Maranhão que a todo momento que passa ganha força total, Fernanda Morais, deixou de ser uma liderança regional e passou a se transformar em uma das estratégicas líder do segmento feminino de todo o Estado, no PC do B.           

Eleição 2014: Saiba quem são os favoritos para vencer as eleições de deputado estadual no Maranhão

Do Portal Maranhão de Verdade 
Próximo de finalizar o primeiro mês de campanha eleitoral, já é possível montar uma provável composição da Assembleia Legislativa, a partir de 2015. Apesar de muitos candidatos ainda esperarem julgamentos do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão é possível fazer um exercício, apontando quais são os favoritos para a disputa de deputado estadual.


Os partidos alinhados com o candidato a governador Lobão Filho (PMDB), são os que possuem maior chance de elegerem deputados, a expectativa é de eleição de pelo menos 29 parlamentares. A oposição vem forte e deve fazer no mínimo 13 representantes, mas esse número pode aumentar, dependendo do desempenho. Uma surpresa também pode ser aprontado pelo PPL, que possui 36 candidatos e tem chances de eleger pelo menos um representante.
Vamos as coligações e nomes:

Coligação “Pra frente Maranhão 2″: PMDB-PV-PR-PSC-DEM-PTB-PRTB-PTdoB – 15 a 16 vagas – 101 candidatos
Favoritos: Roberto Costa (PMDB), Nina Melo (PMDB), Andréa Murad (PMDB), Adriano Sarney (PV), Antônio Pereira (DEM), Josimar da BR (PR), Rogério Cafeteira (PSC), Edilázio Júnior (PV), Max Barros (PMDB), Hélio Soares (PMDB), Afonso Manoel (PMDB), Stênio Rezende (PRTB), César Pires (DEM), Manoel Ribeiro (PTB) e Carlos Filho (PRTB).
Brigam pelas últimas vagas: Rigo Teles (PV), Hemetério Weba (PV), Socorro Waquim (PMDB), Fábio Braga (PTdoB), Priscila Louro (PR) e Léo Cunha (PSC).

Coligação “Vamos juntos Maranhão”: PEN-PMN-PHS-PSD – 3 vagas – 60 candidatos
Favoritos: Jota Pinto (PEN), Eduardo Braide (PMN) e Danubia (PMN).
Brigam por uma última vaga: Carlinhos Florêncio (PHS), Pryscilla Sá (PEN) e Sérgio Vieira (PEN).

Coligação “Força Jovem”: PRP-PSDC-PTN – 2 a 3 vagas – 54 candidatos
Favoritos: Sousa Neto (PTN) e Marcos Caldas (PRP).
Brigam por uma última vaga: Paulo Neto (PHS), Alexandre Almeida (PTN), Severino Sales (PRP) e Enoque Mota (PRP).
PT – 3 vagas – 26 candidatos
Favoritos: Zé Inácio, Francisca Primo e Yglésio Moyses.
Brigam por uma vaga: Américo de Sousa, Fernando Silva, Valdinar Barros e Fransuila.
PRB – 3 vagas – 13 candidatos
Favoritos: Glaubert Cutrim, Ana do Gás e Dr. Pádua.
Brigam por uma vaga: Alberto Franco e Júnior Verde.
PSL – 2 vagas – 46 candidatos
Favoritos: Édson Araújo e Graça Paz.
Briga por uma vaga: Remi Trinta
Coligação “Todos pelo Maranhão 4″ – PSDB-PSB-PCdoB-PDT – 9 a 12 vagas – 84 candidatos
Favoritos: Humberto Coutinho (PDT), Fábio Macedo (PDT), Rafael Leitoa (PDT), Othelino Neto (PCdoB), Neto Evangelista (PSDB), Raimundo Cutrim (PCdoB), Camilo Figueiredo Filho (PCdoB), Hélio Santos (PSDB) e Valéria Macedo (PDT).
Brigam pelas últimas vagas: Bira do Pindaré (PSB), Gardênia Castelo (PSDB), Sérgio Frota (PSDB), Telma Pinheiro (PSDB), Carlinhos Amorim (PDT), Dr Gutemberg Araújo (PSDB), Ivaldo Rodrigues (PDT) e Júlio Pinheiro (PCdoB).
Coligação “Para um novo Maranhão” – PPS-PROS-PP-Solidariedade – 2 ou 3 vagas – 65 candidatos
Favoritos: Carlos Wellington (PPS) e Patrícia Vieira (PROS)
Brigam pela última vaga: Luciano Genésio (SDD), Rildo Aamaral (SDD), Levi Pontes (SDD), Calvet Neto (PPS), Albino (PPS) e Vieira Lima (PPS).
PTC – 1 ou 2 vagas – 35 candidatos
Favorito: Edivaldo Holanda Braga
Brigam pela última vaga: Nonato Aragão e Edson Travassos
PPL – 0 ou 1 vaga – 36 candidatos
Brigam pela vaga: Cleiton Sousa e Ricardo Lago
PSOL – 0 vaga – 13 candidatos
PCB – 0 vaga – 6 candidatos
PSTU – 0 vaga – 4 candidatos